segunda-feira, 12 de dezembro de 2011

Um roteiro para um curta de terror.

 Durante este ano, eu acabei escrevendo um roteiro para certo trabalhinho de artes, mas ele acabou não saindo por que não chegamos num acordo entre a própria equipe.
 Mas vou deixar aqui o roteiro.



 Essa Imagem não tem nada a ver com o Roteiro eu só peguei ela para mostrar como era a Tia Eufrates antes de fazer chapinha. (?)

“Terror com muito sentido.”
Roteiro Cinematográfico de Curta-Metragem
de
Vitor Martins Amaral dos Santos
Morrugah~

CENA 1 - CASA – INT – NOITE
A mãe e o pai da jovem na porta. A jovem vestida com roupas normais e os pais preparados para sair. A noite bem escura. O pai com o ombro sobre a mãe do lado de fora da casa. A garota d lado de dentro olhando para os pais.

PAIDAMENINA – Bem Natália, teremos que ir viajar durante três dias, e por isso não poderemos cuidar de você.

MAEDAMENINA – Mas não se preocupe, já ligamos para sua tia vim cuidar de você, então nesses três dias, você cuida de sua vida normalmente.

PAIDAMENINA – Alem de que você não vai poder faltar aula, você deve ir todos os dias que não estivermos.

NATALIA – Está bem pai, eu vou a escola, não se preocupem, vou ficar bem, alem de que estou com o Dolly.

Dolly late.

MAEDAMENINA – Tudo bem se cuide e cuide da casa. Não deixe sua tia beber minhas cervejas.

NATALIA – Okay, boa viagem.

O pai e a mae se viram de costas e saem pela porta, deixando a garota ali. A garota fecha a porta. Assim que há garota fecha a porta as luzes apagam. A garota fica paralisada olhando para a porta.

NATALIA – Tia Eufrates?

A garota vai andando no escuro saindo da sala. Ela tropeça e acaba quebrando algo.

CENA 2 – COZINHA – INT – NOITE

Ainda tudo se encontrava escuro e a garota não sabia onde estava. Ela começa a remexer nas gavetas da cozinha. A garota acha uma vela.

NATALIA – Ah, aqui está!

A garota acha um fosforo acende o fosforo e a vela. Um ursinho de pelúcia atras dela. A vela apaga.

NATALIA – Maldita frente fria.

A garota acende de novo a vela mas não tem nada atras dela. Ela coloca a vela encima da pia. A garota se vira. Ela da um berro.

NATALIA – O que é isso?

Ela via um urso de pelucia encima da mesa com uma cerveja ao lado.

NATALIA – Boa ideia senhor ursinho! Eu estava precisando de uma cerveja!

URSINHO – Sai fora, essa é minha!

A garota olha assustada para o ursino por ele ter falado.

NATALIA – Está bem pode ficar com ela...

Então a garota se dirige para a geladeira e pega uma cerveja. A garota pega a vela e leva para a sala.

CENA 3 – SALA – INT – NOITE

A garota chega na sala e senta em um sofá. Com a cerveja em mãos, ela pega seu notebook e liga ele. Ela olha pro chão e vê o ursinho com uma cerveja aberta e outra fechada.

URSINHO – Deixa eu ver tambem, que te dou essa cerveja.

NATALIA – Tudo bem.

A garota pega o ursinho e coloca na frente do computador sem atrapalhar sua visão. Ela pega as cervejas e coloca encima do sofá. A garota começa a mexer no computador e acessa um vídeo.

CENA 4 – BANCO – EXT – DIA

As duas amigas se encontravam no banco sentadas conversando.

NATALIA - Ai Mari, nunca acontece nada nesse colégio calmo.

MARIELLE – Sim eu sei.

Um garoto vestido de preto aparece atras delas.

GAROTO – Bu.

As garotas dão berros. Câmera nas sombras do chão. Sombras como se estivessem sendo espancadas.

CENA 5 – SALA – INT – NOITE

A garota com o urso no colo fecha o notebook. Ela olha para o urso.

NATALIA – Você gostou do nosso vídeo de artes?

URSINHO – Não tava muito escroto, ate parece que isso iria acontecer.

As luzes acendem aparece alguém segurando um espeto ensanguentado atras da garota.

NATALIA – Será?

URSINHO – Retiro o que eu disse.

As luzes apagam e acendem fazendo com que apessoa sumisse. A garota olha para trás e olha de volta para o ursinho.

NATALIA – Por que mudou a opinião?

URSINHO – Nada não.

NATALIA – Bem de qualquer modo, a luz voltou, vamos ver um pouco de TV?

URSINHO – Tudo bem...

A jovem garota liga a TV.

CENA 6 – MILHARAL – EXT -DIA

O garoto corre pelo milharal, tropeça e não consegue mais mover a perna.

GABRIEL – Oh não... Tenho que ficar em silêncio para que ele não me encontre.

GORDO – Quem te encontre?

O garoto da um berro e começa a restejar. O outro pisa nele.

GORDO – Acabou para você, pivete fedido.
Câmera filmando o milharal. O homem levanta o guarda chuva e começa a espancar o jovem. O jovem berra. De repente o homem para o guarda chuva.
Câmera no garoto ensanguentado (de ketchup) no chão.

GORDO – Quem mandou ser feio?

CENA 7 – SALA – INT – NOITE

A garota coloca o urso no sofá e se levanta. Ela olha para o urso.

NATALIA – Vou dormir, já está ficando tarde.

URSINHO – Quando eu for dormir eu desligo a TV , bele?

NATALIA – Bele.

A garota sobe para seu quarto. A câmera no ursinho. Ele olha para o controle. Câmera no ursinho. Barulho do canal Discovery Kids.

URSINHO – Finalmente posso ver em paz.

CENA 8 – QUARTO – INT – NOITE

A garota entra no quarto e vê Dolly. Garota deita na cama. Ela coloca a mão no debaixo da cama. Câmera na mão. Cachorro lambe a mão.

NATALIA – Boa noite Dolly.

4 Horas depois.

Silêncio absoluto, garota que acaba de acordar ouve barulho de pingos. Ela coloca a mão debaixo da cama e a mão é lambida. Ela volta a dormir mais segura.

1 Hora depois.

Ainda o barulho de pingos , ela coloca a mão debaixo da cama e algo lambe, a garota esta desconfiada.

NATALIA – Dolly?

Nada responde ao seu chamado. A garota se apoia na cama e olha abaixo dela.
Garota toma calafrios ao ver que não há nada ali. Garota fica paralisada na cama. Ainda barulhos de pingos.

NATALIA – Acho que esses pingos. Estão vindo do banheiro.

A garota se levanta agarrada em seu travesseiro e vai em direção ao banheiro.

CENA 9 – BANHEIRO – INT – NOITE

A garota abre a porta do banheiro.
Câmera nos pés dela. O travesseiro cai no chão. A garota da um berro.

NATALIA – Dolly!

Câmera no cachorro enforcado pela mangueira do banheiro e uma garrafa encima do vaso. Uma garrafa de Dolly.

NATALIA – Por que fizeram isso com o Dolly?

Algo segura a garota e faz ela olhar para o espelho. Escrito em sangue (ketchup) “Pessoas também lambem.”. Então a garota deu um berro.
Câmera lenta na garrafa de Dolly caindo no chão.

CENA 10 – QUARTO – INT – DIA

Garota acorda suada. Ela se levanta e cai no chão. Ela se levanta de novo e desce as escadas.

CENA 11 – SALA – INT – DIA

A garota aparece na sala e olha para o urso caido no chão. Câmera no urso. Na TV estava no Discovery Kids. Várias cervejas caídas no chão. Câmera nas cervejas. Ela desligou a TV e foi pra cozinha.

CENA 12 – COZINHA – INT – DIA

A garota vai para a pia. Câmera na frente da garota mostrando a mesa. Na mesa uma mulher com o cabelo na frente do rosto. A garota olha para trás e vê a mulher. A garota volta para a pia.

NATALIA – Oi Tia Eufrates...

Um grunido sombrio é solto pela mulher.

NATALIA – Não você não pode tomar cerveja.

Um grunido de ódio sai da boca da mulher.

NATALIA – Por que não. Papai disse pra você não beber!

A mulher revoltada levanta e vai em direção a garota. Ela derruba empurra a garota pro chão e começa a bater nela. Câmera sem mostrar a garota apenas a mulher batendo na garota. A garota berra.

CENA 13 – PORTÃO DA ESCOLA – EXT – DIA

A garota aparece no portão da escola acabada. Sua amiga nota e vai conversar com ela.

MARIELLE – O que aconteceu Nati?

NATALIA – A Tia Eufrates apareceu lá em casa...

MARIELLE – Aquela do cabelo de bombril?

NATALIA – O único cabelo de bombril é o da Carol.

MARIELLE – Verdade. Bem vamos pra aula?

NATALIA – Melhor, antes que minha tia apareça de novo.

As duas garotas entram na escola.

CENA 14 – SALA DE AULA – INT – DIA

As duas garotas sentam na frente da sala de aula comportadas enquanto o resto da turma bagunça. O garoto de roupa preta se aproxima delas duas.

GAROTO – Vocês ainda estão com tédio?

NATALIA – Ahn?

O garoto fica irritado e pega o espeto.

GAROTO – Querem saber..?

Um garoto anão segura o espeto do outro garoto não permitindo ele se mover.

FERNANDO – Vai Natalia, foge daqui!

NATALIA – Ahn..?

MARIELLE – Apenas vamos logo amiga!

As duas garotas se levantam e saem correndo, a garota olha para porta e ve o garoto ali segurando o espeto.

FERNANDO – Natalia, eu te amo.

NATALIA – Quem é você?

O garoto se sente menosprezado. A amiga puxa a garota pelo braço e vão embora.

GAROTO – Seu pequeno péstinha!

O garoto empurra o garoto. A câmera na parede mostrando as sombras. Garoto aos berros.
Cãmera no espeto ensanguentado.

GAROTO – Agora tenho que ir atras delas!

CENA 15 – CORREDOR – INT – DIA
A garota e a amiga correm do professor. Câmera na garota. Ela para de sentir a mão da amiga.

NATALIA- Mari?

A garota olha para a escada e vê sua tia vindo pela escada. A garota da um berro. A tia da um grunido.

NATALIA – Você nunca pegara minha cerveja, sua tosca!

A garota sai correndo pra fora do colegio.

CENA 16 – ESTACIONAMENTO – EXT – DIA

A garota corre pelo estacionamento ate ver um cara vestido de preto com uma garrafa Dolly.

NATALIA – Foi você?

RODRIGO – Ele pediu piedade... Mas eu obriguei ele a tomar!

A garota em um ato de liberdade corre para o outro lado do estacionamento. Ela vê o Garoto e a Tia vindo nessa direção.
Ela pega pedras. Câmera na garota. Ela começa a tacar as pedras na tia e no professor. Berros de ambos. (Da Tia Grunidos)
Câmera na Tia e no Garoto caídos no chão ensanguentados. A garota se levanta agora mais calma. Câmera de lado quando ela se levanta, depois de frente, com ela já de pé. O homem de preto aparece atras dela com um sorriso.

RODRIGO – Tome... Dolly...

Berros da garota. Câmera lenta na garota caindo no chão com a garrafa Dolly voando ao seu lado. Câmera na garota soltando Dolly pela boca.

RODRIGO – Mestre Dolly ira dominar o mundo. \o/

CENA 17 – CASA – EXT – NOITE

Os pais da garota chegão e olham a casa no estado de bagunça.

PAIDAMENINA – Ela deixou a sua irmã tomar cerveja.

MAEDAMENINA – Sim...

4 comentários:

  1. Oi,você já fez algum filme de curta-metragem ou outros projeto?

    ResponderExcluir
  2. Oi cara beleza entre em contato com migo Maicond672@gmail.com

    ResponderExcluir